Produtos
Soluções
Entenda o que é autenticação de dois fatores e por que sua empresa deveria adotá-la

Entenda o que é autenticação de dois fatores e por que sua empresa deveria adotá-la

A autenticação de dois fatores é uma camada adicional de segurança para as contas digitais. Saiba como funciona esse método de verificação, as vantagens da sua implementação e como configurá-lo em diferentes plataformas.

A autenticação de dois fatores (2FA) é um método de gerenciamento de acessos e identidades que ficou muito comum nos últimos anos. Ele é prático e simples de implementar, não atrapalha o usuário, e ainda garante segurança e proteção aos nossos dados pessoais e sensíveis. 

A seguir, entenda mais sobre esse processo de segurança!

O que é autenticação de dois fatores (2FA)?

A autenticação de dois fatores (2FA) é uma técnica de segurança e gerenciamento de identidade que utiliza duas formas de identificação dos usuários para liberação e permissão de acessos.

Tradicionalmente, a verificação ocorre apenas com um fator, como uma senha ou código PIN. No entanto, esse modelo adiciona uma camada extra de proteção, pois mesmo se a senha for comprometida, um invasor ainda precisaria do segundo elemento para acessar a conta.

Isso dificulta significativamente o acesso não autorizado e ajuda a proteger as contas de ataques de força bruta e roubo de credenciais.

Como a autenticação de dois fatores funciona? 

A 2FA estabelece duas etapas de verificação de identidade, geralmente solicitando primeiro uma senha e, depois, um segundo método de validação – como um código one-time-password (OTP) ou uma biometria.

Esse segundo componente de validação pode ser de 3 tipos:  

  • Algo que o usuário sabe: uma senha extra, um PIN ou uma resposta a uma pergunta de segurança;
  • Algo que o usuário possui: um telefone, cartão ou token. 
  • Algo que o usuário é: biometria como uma impressão digital, retina, rosto ou voz. 

O modelo mais comum é o fornecimento de uma autenticação de conhecimento, como PIN ou perguntas de segurança. 

Nesse caso, por exemplo, um código de verificação é enviado por meio do canal de preferência do usuário e é utilizado como fator que confirma a identidade. O acesso só é liberado depois do PIN ser confirmado e esse código não pode ser usado mais de uma vez.

Outra opção – e também a mais antiga – é a de usar um token USB como autenticação de dois fatores baseado em algo que o usuário tem. Aqui, quando o USB é conectado ao computador, ele age como uma segunda autenticação de identidade e libera o acesso ao usuário. 

Hoje, com a popularização dos celulares com leitores de biometria (impressão digital e facial), o método de verificação por meio de algo que o usuário é tem crescido em adoção rapidamente. 

Qual é a diferença entre autenticação de 2 fatores e autenticação multifatorial?

A autenticação de 2 fatores, na verdade, é uma espécie de autenticação multifatorial (MFA) na qual não se excede dois componentes de identificação.

A autenticação multifatorial se trata exatamente do processo de gerenciamento de acessos e verificação de identidade a partir de várias etapas que vão além de simplesmente saber uma senha. Ou seja, pode exigir três ou mais fatores de autenticação para liberar um acesso.

Quais são os benefícios de adotar um processo de autenticação de dois fatores?

A autenticação de dois fatores traz vários benefícios significativos para a segurança das contas online, como redução de invasões e aumento da dificuldade de acesso de alguém não autorizado. Segundo a empresa de telecomunicações Verizon, 80% das violações cibernéticas poderiam ser evitadas com o uso de 2FA.

Além disso, essa é uma camada de proteção acessível e não reflete em custos extras para o usuário ou para a empresa no que se refere à contratação de novas soluções de segurança.

Por último, implementar 2FA também traz mais produtividade para a sua equipe. E por duas razões simples: permite que seus colaboradores acessem seus dados e plataformas com segurança de qualquer lugar e reduz a necessidade de chamados para o seu suporte ao cliente com questões relacionadas a acesso. 

Em que momento a 2FA pode ser usada?

A 2FA pode ser usada em diferentes momentos para reforçar a segurança das contas. Os contextos mais comuns incluem acesso a contas online, redes corporativas e sistemas sensíveis.

A abertura de uma nova conta recomenda a ativação da autenticação de dois fatores desde o primeiro momento. Isso inclui e-mails, serviços de armazenamento em nuvem, serviços bancários e redes sociais. 

Além disso, gestores devem solicitar a 2FA para garantir a segurança das atividades dos funcionários, especialmente na rede interna. Isso é especialmente importante ao acessar informações confidenciais, servidores internos ou sistemas de gerenciamento de dados sensíveis.

O mesmo se aplica para dispositivos móveis e instalações em smartphones, que ficam vulneráveis em casos de roubos, por exemplo.

Ao realizar transações financeiras virtuais, também vale a pena implementar a autenticação de dois fatores, especialmente para evitar fraudes.

Melhores práticas de segurança para usar a autenticação de dois fatores

Existem várias dicas para usar a autenticação de dois fatores de maneira mais efetiva, combinando as melhores práticas do mercado para aumentar a proteção dos seus clientes.

Os principais são: 

  • 1. Combine métodos de autenticação. Usar diferentes métodos de autenticação (como SMS, biometria e push) em diferentes momentos da jornada pode ser uma excelente forma de balancear a experiência e a exigência de segurança. 
  • 2. Sempre que possível, permita que seus usuários escolham o canal pelo qual querem fazer a autenticação. Entender as preferências do usuário fará com que você tenha uma quebra muito menor em etapas de 2FA. Isso é válido especialmente para o envio de PIN (que podem ser por voz, push, SMS, e-mail). Mas você também pode permitir que ele escolha o método que prefere, como biometria, PIN, token. 
  • 3. Implemente bloqueios temporários para solicitações sucessivas. Tentativas sucessivas de autenticação podem sinalizar uma possível fraude. Por isso, muitas empresas empregam um bloqueio de alguns minutos após 3 ou 5 solicitações de acesso e impedem o usuário de acessar o app ou site por 10 até 30 minutos. 
  • 4. Possibilite o reenvio do código apenas após 30 segundos da última solicitação. Envios de códigos sucessivos em um pequeno espaço de tempo podem causar confusões no processo de autenticação – além de ser custoso para a sua empresa. Por exemplo: o usuário digitar um código que já não é mais válido porque outro está a caminho. Uma sugestão é apenas permitir o reenvio do código PIN após 30 segundos da solicitação anterior – e após duas tentativas, permita a escolha de um canal alternativo. 
  • 5. Incentive seus usuários a habilitarem a 2FA. Bancos, apps de saúde e serviços governamentais normalmente exigem o uso de autenticação de dois fatores para o acesso. Mas outros setores podem (e devem) incentivar processos de 2FA. Para isso, é essencial que você faça campanhas de conscientização para que seu usuário entenda a importância dessa proteção extra.

Quais as indústrias que usam 2FA?

A autenticação de dois fatores é amplamente adotada em várias indústrias, para reforçar a segurança das operações e proteger as contas dos usuários.

  • Instituições financeiras

É bastante comum e também crucial que as instituições financeiras (como bancos, fintechs e seguradoras) utilizem os serviços de 2FA para manter os dados de seus clientes seguros. Isso pode ser desde exigir uma senha para acessar seu cartão bancário, até um PIN para aprovar transferências.

  • E-commerce

Os varejistas online costumam usar o 2FA durante o processo de login. Quando as informações do cartão de crédito podem ser salvas e armazenadas em suas contas, é essencial acrescentar uma outra camada de proteção para que seus clientes se sintam seguros ao comprar no seu site.  

  • Saúde

As organizações de saúde são responsáveis por proteger os dados e informações dos pacientes – inclusive à luz da LGPD. Ao utilizar o 2FA, elas podem assegurar a seus pacientes que somente eles têm acesso aos seus registros médicos. A autenticação também é necessária para que os médicos tenham acesso aos prontuários dos pacientes de forma segura. 

  • Governo 

Especialmente durante a pandemia, os governos tiveram que fazer uma mudança no uso de plataformas online e baseadas em nuvem para que as pessoas pudessem acessar suas contas governamentais. Isto pode incluir qualquer coisa desde contas no Sistema Único de Saúde, benefícios sociais, pedidos de carteira de motorista e outros serviços governamentais. 

  • Plataformas e serviços em nuvem

Serviços que armazenam dados e arquivos na nuvem podem se beneficiar muito do uso de 2FA para garantir a integridade das contas de seus clientes. Recentemente, até as plataformas populares de redes sociais, como o Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn, também oferecem a opção de ativar a 2FA nas contas dos usuários. 

Em outras palavras, as principais empresas do mercado estão adotando essa medida de segurança, e é fundamental que o seu negócio também preze pela proteção virtual.

Se você quer fazer uso dessas ferramentas, entre em contato com um de nossos especialistas. Estamos prontos para ajudá-lo!

Conteúdos relacionados que você pode se interessar: