Produtos
Soluções
Entenda tudo sobre One-Time Password (OTP)

Entenda tudo sobre One-Time Password (OTP)

O OTP é uma tecnologia muito utilizada por empresas que querem proteger os seus dados e informações. Elas entregam uma senha única e temporária como parte do processo de verificação antes de permitir o acesso do usuário, tornando toda a operação muito mais segura.

Uma senha de uso único (One-Time Password ou simplesmente OTP) é um sequência curta de caracteres alfanuméricos enviada ao usuário por meio de um aplicativo, número de telefone ou endereço de e-mail como uma senha descartável, que só é válida para uma sessão de login ou durante um intervalo de tempo.

Ela é usada como uma forma de autenticação — ou seja, como uma maneira de verificar a identidade do usuário que está acessando determinada conta ou aplicativo, por exemplo.

A seguir, explicamos melhor como funciona a OTP e porque ela é uma estratégia de segurança tão usada por empresas ao redor do mundo. Continue lendo!

O que é OTP?

Em linhas gerais, a OTP é uma senha com data de validade limitada. Ela é gerada automaticamente por um sistema, enviada ao usuário e, após um tempo ou uma sessão, ela para de funcionar ou valer. 

Sendo assim, ela pode ser de dois tipos de acordo com a sua regra de expiração:

  • OTP baseada em hash (HOTP): nesse formato, a senha é gerada e enviada ao usuário é válida até o primeiro acesso com aquele código. Após a sessão, ela passa a ser inválida. 
  • OTP baseada em tempo (TOTP): nesses casos, a senha expira por tempo. Ou seja, se o usuário não utilizar o código dentro intervalo especificado — normalmente de 30 a 60 segundos —, ele se torna inválido.

Esse sistema de autenticação é mais seguro do que as senhas normais porque não é vulnerável a ataques de repetição, uma vez que se torna inválida após ser utilizada ou após um período de tempo.

Quais as características de uma senha de uso único?

As OTPs acrescentam camadas extras de segurança às senhas estáticas. Isso é possível por conta das suas características mais significativas, que são:

  • Temporária: uma senha OTP tem um período de validade, expirando após um tempo definido ou após ser utilizada;
  • Única: cada senha é gerado de forma única, garantindo que não será reutilizada em outra sessão ou transação;
  • Automática: a geração é automática, geralmente por meio de algoritmos ou dispositivos específicos, sem interferência humana;
  • Difícil de prever: utilizando sistemas criptográficos ou algoritmos de geração aleatória, é difícil de ser previsto ou replicado;
  • Variabilidade: OTPs podem ser numéricos, alfanuméricos ou até mesmo baseados em padrões gráficos, oferecendo flexibilidade conforme a necessidade. 

Qual a diferença entre OTP e Autenticação de Dois Fatores?

Assim como a OTP, a Autenticação de Dois Fatores (2FA) é um método de validação da identidade do usuário. E, apesar de serem duas tecnologias diferentes, elas são processos complementares

Enquanto a 2FA exige um processo com dois diferentes métodos de confirmação de identidade, o OTP normalmente é a opção escolhida como uma dessas alternativas para verificar o usuário. 

Na lógica do 2FA, é preciso combinar algo que o usuário sabe —  como uma senha —, e algo que ele possui — como um token ou um código. E é nessa segunda etapa de verificação que entra a senha de uso único, como um SMS enviado para o celular do usuário com um código válido por apenas um período específico.

Quais os benefícios do uso do OTP?

As OTPs reduzem muitos riscos relativos ao esquecimento, compartilhamento e à fragilidade de senhas, bem como a ataques de repetição. 

Por isso, uma empresa que preza pela segurança de dados tem fortes razões para adotar esse mecanismo.

Proteção contra ataques de repetição

Uma das maiores vantagens do OTP é que ele é limitado, ou seja, uma vez utilizado ou após um tempo determinado, ele expira. Isso significa que, mesmo que um invasor consiga interceptar ou obter esse código, ele não pode reutilizá-lo em tentativas futuras de acesso. 

Redução de custos associados a violações de segurança

A implementação do OTP pode significar uma diminuição nos custos relacionados a incidentes de segurança. Com a redução do risco de acessos indevidos, os gastos com a resolução de problemas diminuem, assim como as compensações a clientes afetados e possíveis penalidades legais.

Integração com outros sistemas de segurança

Como falamos mais acima, o OTP pode ser facilmente integrado a outras soluções de segurança, criando um ecossistema de proteção robusto. 

Por quais canais você pode enviar um OTP?

O método de envio da senha de uso único também é fundamental para garantir a segurança de todo o processo. Por isso, é importante conhecer quais são os principais canais utilizados para implementá-lo. 

SMS

A senha via SMS é uma das formas mais populares de envio de OTP. Ao solicitar acesso ou confirmar uma transação, o usuário recebe um código único em seu dispositivo móvel. Este método é conveniente ao aproveitar uma ferramenta que já faz parte da rotina da maioria das pessoas.

No entanto, é vital estar ciente de possíveis vulnerabilidades, como a interceptação de mensagens, tornando a combinação com o 2FA muito mais segura.

E-mail

A entrega de OTP por e-mail é semelhante ao SMS, com a diferença de que o código é enviado para a caixa de entrada do usuário. É uma opção segura, desde que a conta de e-mail do destinatário tenha outras medidas de proteção aplicadas.

A vantagem de utilizar esse canal é que a maioria das empresas possui sistemas de e-mail estabelecidos, facilitando a implementação. 

Aplicativos autenticadores

Para tornar a operação ainda mais segura, uma empresa pode utilizar aplicativos específicos que geram códigos OTP sem depender de conexão à internet ou recebimento de mensagens externas. Eles utilizam algoritmos baseados em tempo ou eventos para criar senhas únicas a cada geração.

Uma vez sincronizados com a conta desejada, fornecem mais segurança, pois o código é gerado e exibido apenas no dispositivo do usuário, reduzindo o risco de interceptações. 

WhatsApp

Recentemente, o WhatsApp tem crescido como alternativa de canal para o envio de OTPs. 

Essa é uma opção interessante porque, diferente do SMS, não depende da conectividade com uma rede de telefonia móvel e tem um alcance quase tão grande quanto as mensagens de texto no Brasil.

Além disso, a encriptação das mensagens e outros fatores de segurança utilizados pelo WhatsApp auxiliam para que as mensagens não sejam interceptadas e, portanto, sigam seguras.

Como implementar a utilização do OTP na sua empresa

Apesar de ser um mecanismo muito eficiente, é preciso utilizar o OTP de maneira estratégica. E, algumas dicas vão ajudar a implementar essa tecnologia nas operações da sua empresa, confira!

Análise das necessidades da empresa

Antes de implementar qualquer solução, é essencial compreender as demandas específicas da sua empresa. Avalie, por exemplo, quais sistemas e dados precisam de maior proteção e, depois disso, fica mais fácil definir qual é a frequência e os tipos de transações que requerem autenticação. 

Dentro desse trabalho, você também precisa entender em quais relações esse mecanismo será utilizado. Tudo isso ajudará a definir qual o melhor caminho a seguir para enviar a senha.

Escolha do tipo de OTP

Agora que você já fez um mapeamento completo do cenário da empresa, é hora de entender, a partir dessas características, qual tipo de OTP é o mais indicado para o público que vai utilizá-lo. Por exemplo: o SMS é mais prático, mas pode ser mais fácil de ser interceptado do que um aplicativo autenticador.

Integração técnica

Com o método escolhido, chega a hora de integrar o OTP com outras soluções e aos seus sistemas. Para isso, é importante trabalhar em conjunto com a sua equipe de TI. 

Mas antes de colocar qualquer estratégia em ação, é fundamental realizar testes rigorosos para garantir a funcionalidade e a segurança da implementação, evitando não só uma experiência ruim para o usuário, mas possíveis falhas de segurança.

Treinamento e conscientização

Por mais que seja uma tecnologia muito eficiente, o OTP por si só não é o suficiente para garantir que seus processos funcionem em segurança. Por isso, cabe à empresa educar os usuários finais — clientes, colaboradores ou fornecedores — a utilizarem esse sistema.

Comece com sessões de treinamentos para ensinar sua equipe a usar corretamente a OTP. Ou, se a tecnologia for indicada para os clientes finais da sua empresa, você deve iniciar uma campanha de divulgação explicando a importância desse processo e como ela funciona na prática.

Monitoramento e manutenção

Uma vez implementado, o sistema deve ser regularmente monitorado, especialmente quando se trata de informações relevantes. Aqui, é importante estabelecer protocolos para detectar atividades suspeitas e contar com sistemas atualizados para se proteger contra vulnerabilidades.

Além disso, os feedbacks dos usuários finais também são relevantes, garantindo que você tenha o máximo de informações possíveis para realizar melhorias, ajustes e oferecer suporte sempre que necessário.

Agora que você já tirou as suas dúvidas sobre o que é OTP, é importante começar a proteger os dados e informações da sua empresa. Fale com um de nossos especialistas e descubra como as nossas soluções podem ajudar o seu negócio!

Conteúdos relacionados: